DESPORTO


























quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

UFC e Demócrito Rocha empatam pelo Cearense de Futsal Feminino

Em uma partida em que as equipes foram quase idênticas, UFC e Demócrito Rocha se enfrentaram na noite dessa quarta-feira, 30/11/16, na quadra do CEU, em jogo válido pelo Campeonato Cearense de Futsal Feminino. Os dois times foram semelhantes não apenas no placar, 3 a 3, mas também nos erros e nos acertos. As atletas proporcionaram um bom jogo de futsal, disputado e aberto. Antes do início da partida, atletas, técnicos, arbitragem e público prestaram homenagem às vítimas do desastre aéreo que matou quase toda a delegação do time de futebol da Chapecoense, além de ter vitimado 21 profissionais de imprensa, com um minuto de silêncio.
Jogadoras prestam homenagem às vítimas do desastre aéreo
Quando a partida iniciou-se, logo se pode perceber que seria um jogo com mais emoções reservadas. Ambas equipes partiram para o ataque. A UFC teve chance de abrir o marcador. Criou diversas oportunidades, mas não conseguia marcar. Por outro lado, o time do Demócrito Rocha também se lançou ao ataque e também criou diversas oportunidades. Logo as goleiras das duas equipes começaram a se destacar, evitando o gol adversário.
As equipes se assemelharam nos erros e nos acertos
Ao mesmo tempo em que atacavam com insistência, UFC e Demócrito Rocha pecavam na marcação, proporcionando as muitas oportunidades de gols de lado a lado. Aos 6min18seg, Vitória recebeu um lançamento longo, na falha de marcação do time do Demócrito Rocha, ficou sozinha e frente a frente com a goleira, tocando para deslocá-la e abrindo o marcador para a UFC.
Jogadoras das duas equipes proporcionaram um bom espetáculo
As duas equipes continuavam falhando na marcação, o que proporcionava chances de gol, que eram desperdiçadas. Aos 14min4seg, uma troca de passes errada na defesa proporcionou com que a jogador Thuany roubasse a bola e empatasse a partida para as visitantes. O panorama se manteve, com um jogo disputado com muita velocidade e erros na defesa dos dois times. As goleiras dos dois times continuavam tendo muito trabalho para evitar o gol.
O jogo foi franco e aberto, com muita velocidade
Aos 16min38seg Letícia tentou dar o passe para Jamile no ataque, uma jogadora do Demócrito Rocha tentou interceptar e acabou desviando a bola contra seu gol. A arbitragem anotou o gol para Letícia, da UFC. Poucos segundos depois, aos 17min13seg, foi a vez da defesa da UFC falhar e deixar uma adversária sozinha, que, com a saída da goleira da UFC para tentar evitar o gol,  tocou para a atleta Gabriela que, dentro da área e também sem marcação, só empurrou para o gol, empatando a partida novamente.

As equipes desperdiçaram muitas chances de gol
Em seguida, aos 18min80seg, Paloma recebeu a bola pela direita do ataque da UFC e, numa jogada parecida com o gol do Demócrito Rocha, sem marcação, tocou para Marieta que, sem marcação, dentro da área tocou na saída da goleira adversária, colocando novamente a UFC à frente no placar. O primeiro tempo seguiu até seu final com o mesmo cenário: ambas equipes errando bastante na marcação, o ataque não aproveitando as oportunidades e as goleiras se virando como podiam para evitar o gol. Placar dessa etapa: UFC 3 x 2 Demócrito Rocha.

As duas goleiras foram o destaque da partida
Veio o segundo tempo e tudo continuou como antes. Uma equipe atacava, criava oportunidade de gol e desperdiçava. Logo em seguida a outra fazia o mesmo. Houve uma parada na partida quando uma atleta do Demócrito Rocha caiu na quadra, sentindo falta de ar. Suas companheiras, sentindo a gravidade da situação, correram para socorrê-la. A partida foi interrompida por alguns minutos, até que a atleta conseguiu superar a dificuldade de respiração e ser retirada da quadra.
As jogadoras das duas equipes continuavam repetindo o roteiro, até que aos 18min50seg a goleira da UFC “bateu roupa” num chute de fora da área, e novamente a jogadora Gabriela aproveitou para tocar a bola para o fundo da rede, decretando novo empate. Não havia mais muito tempo para uma reação e a partida terminou empatada.

Time de futsal feminino da UFC


segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Delegação da UFC viaja para a disputa dos Beach Games em Aracaju

A delegação da Universidade Federal do Ceará (UFC) que disputará os Beach Games, da Liga Desportiva Universitária (LDU), promovidos pela Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU) em Aracaju, Sergipe, de 30/11 a 03/12 embarcou na tarde dessa segunda-feira, 28/11. A comitiva, chefiada pelo diretor do Desporto Universitário, Wildner Lins e o coordenador do Núcleo de Futebol da UFC, Clovandi Costa conta ainda, além dos atletas, técnicos e auxiliares, com o fisioterapeuta Aurifran Barroso.
Meninas do beach hand disputarão torneio com equipes nacionais e de outro país
Participarão atletas de onze estados (Ceará, Amazonas, Bahia, Alagoas, Distrito Federal, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Roraima, Sergipe e São Paulo), além da delegação feminina de beach hand do Uruguai. Os atletas disputarão as competições de beach soccer, futevôlei, vôlei de praia e beach rugby. Ao todo 300 atletas disputaram os torneios, que são seletivas para os jogos mundiais. A UFC disputará o beach soccer, futevôlei, vôlei de praia e beach hand feminino. O palco será a arena montada nas areias da Passarela do Caranguejo, na praia de Atalaia, na capital Sergipana.
Delegação masculina da UFC disputará beach soccer, futvôlei e vôlei de praia
Segundo Wildner Lins, a previsão de chegada da delegação é na manhã dessa terça-feira, 29/11. “Às 18 horas ocorrerá o Congresso Técnico e os jogos começarão no dia seguinte”, informou. O evento finaliza o calendário de 2016 da CBDU. O técnico do time de beach hand, Sérgio Rocha, o “Serjão”, disse estar confiante numa boa apresentação. “Estamos semeando para uma colheita num futuro bem próximo, mas é claro que vamos na intenção de, além de fazermos um bom campeonato, quem sabe conquistar uma vaga nos jogos mundiais”, destacou.
Delegação da UFC que disputará os beach games em Aracaju
Clovandi Costa ressaltou a preparação e o conjunto de seu time. “Trata-se de um grupo que treina forte e joga junto há um bom tempo, portanto o entrosamento é excelente. Vamos para essa competição como sempre entramos nas demais, para disputar o título e uma vaga nos jogos mundiais de praia”, disse. Entre os atletas a confiança de uma boa participação nas competições é grande. O retorno da delegação está previsto para 03/12, devendo chegar no dia seguinte a Fortaleza.

Centro de Ciências ganha o título no Hand feminino nos JUFC tendo o IEFES como vice-campeão


IEFES e Centro de Ciências (CC) fizeram uma final de handebol feminino bastante disputada nos Jogos da Universidade Federal do Ceará (JUFC), nesse domingo, 27/11, na quadra do CEU. Com jogadoras da seleção da UFC em quadra, em ambas as equipes, as meninas do CC conseguiram a vitória por apenas um gol de diferença.
Time de hand feminino do IEFES lutou muito, mas não conseguiu bater o do CC
O primeiro tempo foi tão equilibrado, que boa parte desse período as equipes ficavam empatadas no placar. Nenhuma conseguia abrir margem de gols sobre a outra. Esporte de muito contato e que requer muito esforço físico das jogadoras, o handebol apresentado pelos dois times foi muito semelhante. Muitas jogadas mais ríspidas, que resultaram em cartões amarelos e punição com dois minutos fora de jogo.

Nenhuma das duas equipes conseguia abrir vantagem significativa no placar

Até quase o segundo final a partida ainda permanecia indefinida
A primeira etapa terminou com o placar de CC 5 x 4 IEFES. O segundo tempo não alterou o panorama do jogo. Muita marcação e jogadas de muito contato físico. Mais cartões amarelos e mais punições com dois minutos fora de jogo para algumas jogadoras. Num dos raros momentos da partida, o CC conseguiu abrir a maior margem de gols sobre o IEFES 8 a 6, faltando pouco mais de três minutos para acabar o jogo.

As meninas do IEFES partiram para a pressão, marcando quadra toda as adversárias. A estratégia acabou dando resultado e novamente a diferença caiu para um gol, com pouco mais de um minuto para o encerramento. A pressão continuou mas a equipe do IEFES não conseguiu o empate e a partida terminou com o placar de CC 9 x 8 IEFES, fazendo das equipes, respectivamente, campeã e vice dos JUFC.

Meninas do hand do IEFES ficaram com o vice-campeonato

Time do CC ficou com o título de campeão de hand femnino dos JUFC

Campeãs e vice comemorando a premiação






No "tira-teima" Tifóides vence Malas e fica com o título de campeão de futsal dos JUFC

No “tira-teima” entre as duas equipes do IEFES que fizeram a final de futsal masculino dos Jogos da Universidade Federal do Ceará (JUF), os Tifóides (IEFES 1) passaram à frente dos Malas (IEFES 2), e agora tem três vitórias, contra duas dos adversários, no histórico de enfrentamento dos dois times. Num jogo que reeditou a final dos Jogos da Educação Física (JEF) e honrou a tradição dos confrontos entre as duas equipes, de bom nível técnico, os Tifóides sagraram-se campeões com um placar de 2 x 0, na manhã de domingo, 27/11, na quadra do CEU.
Tifóides e Malas sempre fizeram jogos equilibrados
Como sempre, o equilíbrio marcou a partida. Com maior entrosamento e um pouco melhor de técnica, os Tifóides começaram a partida com cautela. Optaram pela troca de passes e esperar o momento certo para ir ao ataque. Do outro lado os Malas faziam o mesmo. Nenhuma das duas equipes queria arriscar pressionar a outra, no aguardo de um erro para tentar criar chances de gol, que não foram muitas.
Marcação forte, jogo truncado foi a tônica da final
Muita marcação, jogo truncado, e bola rodando de pé em pé. Vez por outra uma oportunidade de gol criada e perdida de lado a lado, mas nenhuma que representasse efetivamente chance real de marcar. E assim a partida seguia, mostrando que seria mais uma na qual a definição viria no erro de algum dos dois times. A eficiência na marcação que as duas equipes demonstravam contrastava com as poucas inserções ao ataque.

Nem Tifóides nem Malas arriscavam-se muito ao ataque
Aos quinze minutos, entretanto, a história da partida começou a mudar. O goleiro do CT, Bruno, teve que sair da área para evitar o gol do adversário num contra-ataque, tocando com a mão, sendo advertido com cartão amarelo. Na cobrança da infração, uma rápida troca de passes acabou com a bola sobrando para Anderson Lira, que abriu o marcador para os Tifóides. Apesar de precisar sair mais para o ataque em busca do empate, os Malas continuaram com a cautela, aguardando um erro do oponente e aguardando o intervalo para recompor o time e a estratégia.

O primeiro tempo terminou com o placar de 1 x 0 para os Tifóides. Na segunda etapa o panorama do jogo mudou totalmente. Os Malas abandonaram a cautela e saíram para buscar o empate. Os Tifóides, entretanto, mantiveram a intenção de marcar fortemente e aproveitar algum erro do adversário que, obviamente, teria que se expor mais em busca do gol. Ytalo Eloi, Walter, Vicente, Lucas, David e Breno se revezavam no “ferrolho” do time. Deyvison, João Mateus, Anderson Lira entravam vez por outra como opção de ataque e segurar o adversário na quadra defensiva.

Pelos Malas, Thallysson, Kilder, Renan, Paulo Neto, Bruno Braga e todo o time se revezavam na quadra para dar mais velocidade e buscar furar o bloqueio adversário. Logo aos 1min40seg os Tifóides ampliaram a vantagem para 2 a 0 com um gol de Breno. A partir daí os Malas se mandaram de vez para o ataque e os Tifóides se fecharam ainda mais. O jogo ficou aberto, mas os Tifóides não aproveitaram o momento para explorar a exposição do adversário. O tempo passava e a pressão imposta pelos Malas praticamente mantinha o oponente em sua quadra defensiva. O goleiro Bruno passou definitiva e literalmente a ser goleiro-linha, transformando-se em mais um jogador de ataque.
Os Malas se mandaram para o ataque, até o goleiro Bruno
Aos 16min38seg Paulo Neto quase marca para os Malas. A pressão sofrida, entretanto, não tirou a concentração dos Tifóides, que com muita frieza e tranquilidade se defendia e anulava as investidas dos adversários, mesmo precisando marcar para tirar a desvantagem no placar e “alugando” a quadra do concorrente, não demonstrou desespero e continuou a pressionar com consciência. Até o último segundo tentou, mas não conseguiu furar a defesa dos Tifóides nem vencer o goleiro Thyago, também em manhã inspirada.

Os Malas ficaram com uma três derrotas no histórico de confrontos com os Tifóides

No "tira-teima" Tifóides passaram à frente dos Malas no confronto direto

Vice-campeões, os Malas, recebem a Premiação

IEFES 2 (Malas), vice-campeão de futsal masclino dos JUFC

Os Tifóides, campeões, segundo título nas últimas três edições dos JUFC

IEFES 1 (Tifóides), campeão de futsal masculino dos JUFC

Tifóides e Malas, IEFES dominou futsal masculino dos JUFC

CT vence IEFES e conquista título de futsal feminino dos JUFC

A exemplo do que aconteceu no basquete masculino, IEFES e CT se enfrentaram também na final do futsal feminino. Ao contrário da partida que antecedeu a final do futsal feminino, as meninas do CT saíram-se campeãs com um placar bem elástico. O IEFES conseguiu equilibrar o jogo no primeiro tempo, mas não resistiu no segundo tempo e ficou com o vice-campeonato.

Logo aos 2min15seg o CT abriu o marcador, através de Andressa. A vantagem, entretanto, não curou muito. Pouco mais de um minuto depois, aos 3min36seg Jamily empatou para o IEFES. A partir daí o jogo foi de muita troca de passes, marcação, algumas jogadas mais ríspidas e equilíbrio entre as duas equipes. Apenas com uma jogadora no banco, o time do CT parecia demonstrar cansaço em quadra, o que não foi aproveitado pelas jogadoras do IEFES.
Meninas do IEFES conseguiram equilibrar o jogo no primeiro tempo
Tecnicamente o CT demonstrava maior superioridade, mas em velocidade, movimentação, as meninas do IEFES superavam as adversárias. O jogo seguiu truncado com algumas poucas chances de gol de ambos os lados. Assim permaneceu até bem próximo do final do primeiro tempo, quando, aos 19min, Vitória desempatou a partida para o CT. Restava pouco tempo para uma reação, e o time do IEFES preferiu aguardar o intervalo para se recompor.
No segundo tempo, entretanto, time do CT deslanchou
Veio a segunda etapa e os planos de reação do IEFES parecerem ter ficado apenas na teoria. Ainda que demonstrasse mais determinação, marcando mais e explorando a velocidade, as meninas não conseguiam criar muitas chances de gol e não convertiam as que surgiam. Aos 5min novamente Vitória ampliou a vantagem para o CT em 3 x 1. Logo depois, aos 6min30seg, Andressa marcou um belo gol, o quarto, com cavadinha, em jogada pelo lado esquerdo do ataque.

Superioridade do CT foi traduzida no placar da partida
Aproveitando-se do abatimento que demonstrou as adversárias, as meninas do CT não perderam tempo em mexer no placar: um minuto depois, aos 7min30seg e a goleira do CT, Beatriz viu a goleira do IEFES adiantada e chutou direto, com a bola cruzando toda a quadra e cobrindo a oponente, colocando o placar em 5 a 1 para o CT.

Melhor técnica superou o elenco reduzido do CT
Beatriz seria protagonista de mais dois lances importantes: no primeiro, num rápido contra-ataque do IEFES, tocou com a mão na bola fora da área. A arbitragem marcou falta, mas não a advertiu com cartão amarelo. Na cobrança, Sandrinha mandou um tijolo que passou pela barreira, indefensável, marcando o segundo gol da equipe do IEFES. Com apenas uma jogadora no banco, uma goleira reserva, Beatriz vestiu uma camisa das jogadoras de linha para se tornar opção, entrando sua reserva. A troca de camisas e a situação criada de “goleira-jogadora” e não goleira-linha, foi interpretada como infração pela arbitragem, que a puniu com cartão amarelo. Ainda assim a goleira entrou como uma jogadora de linha.

Meninas do IEFES ficaram com o vice-campeonato
As meninas do IEFES demonstravam apatia e ausência de poder de reação. Aos 14min10seg novamente Vitória marcou seu terceiro gol na partida, fazendo CT 6 x 2 IEFES. O desânimo se instalou de vez e perto de acabar o jogo, aos 18min55seg, Andressa, que havia aberto o placar, liquidou a fatura marcando o sétimo gol do CT. Restou apenas esperar o apito final e comemorar o título. CT campeão feminino de futsal e IEFES vice-campeão.

Time de futsal feminino do CT recebe a premiação

Vice-campeonato dos JUFC de futsal feminino ficou com as meninas do IEFES

Meninas do futsal do CT exibem medalhas e troféu de campeãs



IEFES é campeão de basquete masculino dos JUFC

O Instituto de Educação Física e Esportes (IEFES) e o Centro de Tecnologia (CT) fizeram a final do basquete masculino dos Jogos da Universidade Federal do Ceará (JUFC), na manhã de domingo, 27/11, na quadra do CEU, no Campus do Benfica. A partida abriu o domingo de decisões dos JUFC, realizadas naquele dia, e foi a primeira a reunir alguns dos jogadores da lendária vitória da UFC sobre a Unichristus dois dias antes, no mesmo local. Vários dos jogadores que participaram da partida memorável estavam em quadra, desta vez em equipes diferentes.

No primeiro quarto, o CT saiu na frente e impôs seu jogo, dominando as ações. Com bom aproveitamento nos arremessos de fora do garrafão, o time do CT manteve-se à frente do placar. Demorou um pouco, mas a equipe do IEFES começou a reagir e tentar equilibrar a disputa, embora pecasse na marcação e permitisse espaço para seus adversários continuassem arremessando de longa distância. O CT saiu-se vitorioso nessa etapa por 13 a 9.
Equipe do CT impôs seu jogo no primeiro e segundo quartos de jogo
No segundo quarto, o CT continuou sendo superior ao IEFES, continuando na estratégia de arremessar de fora do garrafão. A bola de três pontos começou a cair e o IEFES parecia não conseguir barrar seus oponentes. O time se mostrava apático e sem capacidade de reagir ao domínio do CT, que também ficou à frente desse período por 12 a 11.
No terceiro quarto o time do IEFES acordou e começou a mudar a história da partida
No terceiro quarto o jogo começou a ganhar outra feição. No intervalo o time do IEFES pareceu ter acordado para o jogo, voltando com uma marcação mais forte e imprimindo mais velocidade. Nos minutos iniciais o IEFES conseguiu, pela primeira vez na partida, ficar à frente no placar, abrindo três pontos de vantagem. O time do CT sentiu o baque, a pressão, pediu tempo para tentar se reorganizar e retomar as rédeas da partida. Não surtiu efeito, pois o IEFES ampliou a vantagem para cinco pontos. Rápidos contra-ataques foram decisivos e esse quarto terminou com o placar de IEFES 17 x 6 CT.
No final o IEFES venceu e sagrou-se campeão de basquete dos JUFC
O quarto, decisivo e último período trouxe o CT partindo para o tudo ou nada. A ação surtiu efeito transferindo o sentimento da pressão para o IEFES. A diferença caiu para apenas um ponto. Também sentindo o momento não muito bom, veio o pedido de tempo. Voltando a partida, o que se viu foi um IEFES mais atento e rápido. Novamente os contra-ataques foram fundamentais, ocasionando a abertura de uma vantagem de onze pontos para o IEFES. Novamente partindo para o tudo ou nada o CT passou a marcar pressão quadra toda, fazendo faltas para forçar o arremesso livre e assim tentar tomar a posse de bola. Em contrapartida a equipe do IEFES não desperdiçava os arremessos livres. A diferença praticamente se manteve inalterada até o final desse quarto, que terminou com a vitória de 17 a 13 para o IEFES. Placar final: IEFES 54 x 44 CT, determinando, respectivamente, campeão e vice da modalidade.

Equipe de basquete do CT, vice-campeã dos JUFC

Campeões do IEFES recebendo a premiação

Atletas do basquete masculino do IEFES, campeões dos JUFC

Time conseguiu reagir e impor seu jogo

IEFES e CT, campeão e vice de basquete dos JUFC